31 março 2018

Moedas do futuro - Diferenciando nodes #6

Continuando nossa série de artigos sobre Moedas do futuro, se ainda não conhece clique aqui e saiba mais.

Antes de compreender a diferenciar nodes, é altamente recomendado que compreenda o que é Blockchain. Portanto, clique aqui e confira um excelente vídeo simplificado explicando como funciona uma cadeia de blocos, ou seja, a Blockchain usada no Bitcoin.

Um node (do português "nó") em uma rede distribuída (imagem abaixo - Distribuído) é um ponto de intersecção ou conexão com a rede, podendo agir como ponto de redistribuição e também como um ponto que termina uma conexão. Note que na imagem abaixo você está visualizando a rede apenas em 2 dimensões.

Um full node (do português "nó completo") é um componente integral da rede do Bitcoin pois valida sua blockchain baixando uma cópia completa dela. Eles também são capazes de retransmitir uma transação e blocos recentes, mas isso não é requisito para ser um full node. Se você já baixou um cliente (uma carteira) full node (que baixa toda a blockchain) como Bitcoin Core, já deve ter notado que seu full node está limitado a cerca de 8 conexões, isso acontece pois você provavelmente está sendo bloqueado por algum firewall, ou seja seu full  node não está publicamente conectável ainda.

Para resolver isso, você precisa evitar qualquer firewall do seu sistema e liberar todas portas necessárias para que seu full node se torne conectável a qualquer um. Um node configurado para que qualquer node da rede consiga se conectar a ele, podendo retransmitir transações e histórico da blockchain, pode ser chamado de Super Node (ou Listening Node). Isto porque ele requer muita banda de internet e uso de CPU, pois funcionam 24 horas por dia e 7 dias por semana, ou seja são pontos confiáveis para que outros nodes se conectem. 

Como você já deve ter lido em nosso artigo "Moedas do futuro - Carteiras (wallet) #3", se não.. clique aqui para ler, existem diversos tipos de carteiras e as que não são "cliente completo" não armazena todo o histórico de transações de bitcoins, ou seja não faz download completo da blockchain. Esses clientes são chamados de Light Wallets (ou Thin client) por usar SPV (do inglês Simplified Payment Verification), eles fazem isso garantindo que suas transações sejam colocadas em um bloco e então confirmam se outros blocos estão sendo adicionados ao bloco anterior. Portanto, no sentido mais amplo, um cliente SPV pode se encaixar nos critérios de um node, mas não fazem muito para dar suporte e validação a blockchain para que ela seja confiável e segura. Em vez disso, eles armazenam apenas cópias de todos os cabeçalhos de todos os blocos no blockchain deles que são obtidos de outros Super Nodes. Portanto, os clientes que usam SPV não podem verificar transações na cadeia de blocos porque não têm acesso a ela. Dessa forma, eles funcionam como terminais de comunicação, pois são incapazes de retransmitir transações ou dados da blockchain. Sendo assim, quem oferece clientes que usam SPV colocam full nodes próprios para garantir a segurança dos seus usuários que usam este tipo de carteira.  

Diferentemente dos mineradores, que recebem recompensa o que incentivam a manter atividade na rede, quem roda um full ou super node não possui nenhum incentivo monetário. Resumindo se você deseja que o bitcoin ou sua moeda favorita seja segura, é necessário que ela se torne descentralizada o suficiente para evitar qualquer tipo de ataque que possa desvalorizar ou quebrar a confiança dos usuários nela, o que implicaria em uma queda drástica de valor financeiro, portanto rodar um full node ou super node é a melhor forma de você contribuir voluntariamente com a comunidade.

Parte 7: em breve.
Selo Limon Tec em criptomoedas


Fonte: https://medium.com/the-litecoin-school-of-crypto/lets-talk-about-litecoin-nodes-77383339cdf7




~ Artigos recomendados para você:









Please Donate To Bitcoin Address: [[address]]





Donation of [[value]] BTC Received. Thank You.


[[error]]